O ar condicionado automotivo é um acessório essencial para os automóveis modernos, principalmente em cidades que tenham dias de calor muito intensos, como é o caso do Rio de Janeiro e de muitas outras cidades brasileiras.

Além disso, ele proporciona uma viagem mais confortável e, principalmente, um pouco mais segura, uma vez que o motorista precisa manter os vidros do automóvel totalmente fechados para que a refrigeração seja eficiente, o que contribui para proteção e segurança dos passageiros.

Entretanto, como qualquer peça eletrônica, pode sofrer interferências por conta de diversos problemas.

Continue lendo o post e descubra os 5 maiores problemas que podem afetar o funcionamento do ar condicionado automotivo e saiba como resolvê-los!

1 – Sujeira no condensador

Sabe quando você liga o ar condicionado do seu veículo e ele parece não estar refrigerando como deveria? É porque pode haver sujeira no condensador! Ele é o principal mecanismo responsável pelo resfriamento dos vapores do fluido refrigerante que saem do compressor.

Quando ele está muito sujo, seja com poeira, folhas ou outros tipos de detritos, o ar não consegue circular de forma completa, impedido que o veículo fique totalmente resfriado em seu interior. 

O ideal é realizar, periodicamente, a limpeza do condensador, para evitar problemas futuros. Mas não é só por conta da sujeira no condensador que o nível de refrigeração pode baixar.

2 – Nível muito baixo de refrigeração

Quando o ar condicionado automotivo não é usado por muito tempo, o fluido refrigerante tende a diminuir, fazendo com que perca a sua eficácia, afetando o desempenho da refrigeração do automóvel.

O fluído refrigerante não tem prazo de validade definido, mas é importante realizar, pelo menos, uma vez ao ano a verificação dos níveis dele para ver se não estão baixos demais, uma vez que o fluido refrigerante baixa de nível em média 15% ao ano.

3 – Surgimento de maus cheiros

Já sentiu algum cheiro ruim vindo das saídas de ventilação do seu automóvel? É semelhante a algo que está podre e se deve ao desenvolvimento de bactérias, fungos e outros microorganismos dentro do sistema de ar condicionado automotivo.

Eles crescem e você nem percebe! E se não forem removidos, podem fazer mal e gerar até doenças para o motorista e os passageiros do automóvel. É o que chamamos de “Síndrome do Carro Doente” e diz respeito a qualidade do ar presente no automóvel, que se torna irrespirável.

É imprescindível que seja feita a limpeza e verificação periódica, principalmente quando estamos lidando com a saúde das pessoas!

4 – Problemas mecânicos

Não é só microorganismos que fazem o ar condicionado automotivo não performar bem. Avarias mecânicas podem afetar a refrigeração do interior do seu veículo. 

Além da sujeira afetar o condensador, ele pode sofrer com problemas mecânicos, assim como o compressor, em que a embreagem magnética dele pode apresentar ou não o funcionamento das válvulas.

Quando ocorre algum problema mecânico, a recomendação é evitar a utilização do ar condicionado automotivo e procurar algum técnico especialista para que ele possa realizar a correção da avaria em questão.

5 – O surgimento de umidade

Quando ocorre o surgimento de umidade, é um dos primeiros indícios de que o ar condicionado automotivo não está funcionando como deveria. 

As partículas de umidade impedem que o refrigeramento não seja realizado como deveria, fazendo com que o ar condicionado precise ficar ligado mais tempo.

Assim, o combustível do automóvel é consumido mais rápido e a bateria ainda pode ser enfraquecida, algo que você não quer, não é mesmo?

E aí? Notou que o ar condicionado do seu veículo apresenta alguns destes problemas? Então, não perca tempo e procure algum especialista que possa te ajudar com as melhores soluções quando se trata de refrigeração de automóveis.