O Ford já lançou o seu compacto Ka na versão 2019, e muitos estão ansiosos para conseguir o seu exemplar. Afinal, as novidades para essa nova linha do modelo prometem agradar os amantes de carro mais inveterados, alavancando as vendas do veículo, que já foram boas em 2018 (foi o terceiro mais vendido ano passado, ficando atrás apenas do Chevrolet Onix e do Wolkswagen Gol).

Como incentivo, vamos listar agora algumas curiosidades a respeito desse modelo tão popular da Ford, que, definitivamente, conquistou o mercado brasileiro.

Inspirações faraônicas

Uma das características que mais agradam os donos de um Ford Ka é justamente o seu design bem compacto e arrojado, algo que vem desde o seu primeiro lançamento, ocorrido na Europa em 1996. Mas, você sabia que o visual desse carro teve inspirações egípcias? Pois é.

O desenho do Ford Ka foi baseado nas pirâmides, e, por isso, o veículo possui formas tão orgânicas. Mas, não só. O próprio nome “Ka” é uma expressão egípcia que significa, literalmente, “alma” ou “espírito”.

Séries limitadas

Se tem uma coisa que todo apaixonado por carros gosta são as séries limitadas de modelos que são fabricados numa quantidade mínima, e que acabam caindo nas mãos de quem é colecionador, ou simplesmente gosta muito do mundo automobilístico.

No caso do Ford Ka, foram 4 séries limitadas lançadas ao longo dos anos: Ka Tecno (de 2000), Ka XR (de 2001), Ka Black (de 2001) e Ka MP3 (de 2008 a 2007). Todas com poucas unidades, algumas adições na potência dos motores e outras peças e um design um pouco mais diferente que o usual.

Rápida chegada ao Brasil

Apenas 6 meses após chegar na Europa, o Ford Ka, chegou ao Brasil, no ano de 1997. Tinha o mesmo motor 1.3 de lá, e mais um que era exclusividade nossa, de 1 litro. Era, inclusive, o primeiro carro nacional com faróis de superfície complexa (como desenho nos refletores, e não nas lentes).

Tinha também comando hidráulico na embreagem e imobilizador de motor com código na chave. Ou seja, não é à toa que, rapidamente, o Ford Ka se tornou tão popular em nosso país.

Alvo de “bullying”

Hoje, o Ford Ka pode até ser um carro conceituado entre nós, mas, antigamente, o seu designer (em especial, o estilo na traseira) era alvo constante de piadas. Muitos o chamavam de “bebê de fraudas”, devido ao seu para-choque volumoso.

Talvez tenha sido por isso, inclusive, que o Ka nacional tenha sido o primeiro modelo a ganhar para-choques na mesma cor da carroceria em 1999, e o único a ter novas lanternas dois anos depois, para, finalmente, o modelo ficar com um designer menos, digamos “propenso a comentários maldosos”.

Pioneirismo brazuca

O Brasil também foi pioneiro no motor de 1.6 L. Lançado em 2001, o Zetec Rocam de 95 cavalos deixava o nosso Ford Ka rápido e esportivo, pois deixava o escapamento mais livre. Os europeus teriam esse motor mais tarde, mais precisamente, no seu Sport Ka, com direito até a rodas 16 e saída central de escapamento.

Variações de conceitos

Engana-se quem pensa que só recentemente o Ka veio mudando de conceito, seja em relação ao seu designer, seja em se tratando de peças novas no mercado.

As constante mudanças de conceitos vêm acontecendo desde os primeiros modelos, como, por exemplo, o Turing Ka, de 1998, que mais parecia uma perua, devido à sua traseira alongada e 5 portas. O motor de 1,7 L, por sinal, vinha do Puma.

Encontro de gerações

Somente na terceira geração do Ford Ka, em 2014, que os mercados brasileiro e europeu se reencontraram. Pelo menos, em estilo, já que em termos de mecânica, continuaram diferentes. O Ka brasileiro, por exemplo, tinha motor de 1 L e 3 cilindros, e o europeu, de 1,2 L, e 4 cilindros.

Pela primeira vez, inclusive, o Ford Ka tinha 5 portas e opção Sedan. Já, a versão Trail de 2017 tinha suspensão e pneus mais altos, servindo de “experiência” para a nova Freestyle, que terá produção em diversos países.

Gostaram das curiosidades? Esperamos que sim,, e que a Ford continue nos surpreendendo com o seu Ka, e as diversas possibilidades que ele ainda tem a oferecer.