Riscos e arranhões no carro podem ser um verdadeiro pesadelo na vida dos motoristas! Se você é dono de um veículo, provavelmente já sofreu com algum desses problemas. Se ainda não sofreu, provavelmente ainda passará por essa situação em algum momento da vida útil do seu automóvel.

O fato é que poucas pessoas realmente sabem como consertar o estrago depois que ele já foi feito. Se você se identificou com o assunto, ou simplesmente quer saber mais sobre ele, continue lendo o texto abaixo e se informe!

Como remover riscos ou arranhões

Antes de começar qualquer tipo de processo de remoção na parte danificada do seu carro, você precisa inspecionar muito bem o defeito. Em muitos cenários, as pessoas acreditam que a única forma de resolver o problema é com a pintura, porém, dependendo da profundidade do risco ou do arranhão, pode haver outras soluções.

Observe a área danificada à luz do dia e, se precisar, utilize a ajuda de uma lupa para descobrir se o estrago foi mais leve ou mais sério. A partir daí, você pode determinar qual é a melhor forma de prosseguir. Se você tiver alguma dúvida ou insegurança sobre o tamanho do problema ou sobre o procedimento correto a ser feito, leve o veículo a uma funilaria automotiva de confiança ou a um profissional experiente.

Podemos definir os riscos ou arranhões mais fracos como aqueles que passaram pouco pela camada de cobertura da pintura, enquanto os mais fortes são aqueles que ultrapassam o primer, ou seja, a camada de revestimento da tinta. Cada caso demanda uma abordagem diferente, sendo o segundo um pouco mais complicado, já que a área prejudicada se torna vulnerável à corrosão, que pode se espalhar por toda a lataria.

Vamos conhecer quatro métodos populares a seguir.

Produtos específicos

Existem inúmeros produtos voltados para o polimento de riscos e arranhões, e o que vai determinar o resultado é a qualidade da substância escolhida. Geralmente esse tipo de mercadoria atende o público com problemas mais superficiais. Siga as instruções de aplicação que ficam no verso da embalagem para realizar o procedimento de maneira correta e, se tiver alguma dúvida, procure a ajuda de um profissional, pois ele está apto a indicar a melhor solução para o seu caso.

Pintura de retoque

A pintura de retoque é uma alternativa menos invasiva de resolver o problema do que a pintura completa. Entretanto, uma das maiores dificuldades desse método é uniformizar a cor da área atingida com a cor da área ao redor.

Essa técnica atende tanto os riscos mais superficiais quanto os riscos mais profundos. Na maior parte das vezes, é preciso lixar a região na qual a tinta vai ser aplicada e depois polir, mas pode ser trabalhoso realizar este procedimento de forma que a lataria fique harmônica. Se você tiver dúvidas  sobre o procedimento ou estiver inseguro sobre a realização, procure a ajuda.

Pintura completa

A pintura completa é a solução mais certeira entre todas, já que o trabalho inicial de funilaria será basicamente refeito. Contudo, esse método é um dos mais complicados de se fazer sozinho em casa. Apesar de ela remover todos os riscos e arranhões, existe um ponto negativo que faz com que muitos proprietários de veículos pensem duas vezes antes de optar pela técnica: o veículo acaba perdendo um pouco do seu valor de revenda ao passar por esse processo.

Óleo de banana

O óleo de banana é uma solução caseira, e como não foi cientificamente testado para essa finalidade, seus resultados são imprevisíveis. Essa substância geralmente é utilizada para amolecer esmaltes de unha, e quando aplicada sobre riscos ou arranhões, faz com que os mesmos “desapareçam”.

Existem muitos vídeos na internet que mostram o desempenho do método e, apesar de ele aparentemente funcionar, infelizmente não é possível prever os eventuais danos causados à pintura do veículo. O mesmo é válido para outras técnicas, como passar giz de cera, pasta de dentes, borracha escolar ou silicone.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como remover riscos e arranhões do seu carro, ficou mais fácil decidir qual método será o melhor para o seu caso. Lembre-se de que todos os processos exigem paciência e cuidado para que os danos iniciais não se tornem maiores ainda.

Se você gostou deste post, compartilhe em suas mídias sociais para ajudar a divulgar a quem precisa saber disso! 😉