Nos últimos tempos, o calor está intenso, e nessas horas a gente agradece pela existência do ar-condicionado automotivo, não é mesmo?

E por falar nisso, você sabia que há distinções entre um aparelho de ar-condicionado digital e um analógico? Quer saber qual a melhor opção para se refrescar, sem exigir muito do seu veículo?

Neste post, vamos esmiuçar as diferenças e apontar os prós e contras de cada um. 

Ar-condicionado digital

Mesmo sendo bem mais moderno do que o analógico, o aparelho digital funciona de maneira quase idêntica.  Ambos os modelos utilizam o mesmo sistema de refrigeração e, se estiverem com a manutenção em dia, a qualidade do ar será a mesma. No que se refere ao ajuste da temperatura, porém, a diferença é gritante.

O aparelho digital proporciona um conforto maior ao usuário, já que a quantidade de ajustes disponíveis é maior em relação ao analógico. Com esse tipo de equipamento, por exemplo, é possível escolher a temperatura exata do fluxo de ar.

Se for dual zone, o sistema de ar-condicionado digital proporciona tanto a regulagem da temperatura de maneira automática, quanto a regulagem da temperatura em cada ambiente do veículo, permitindo o ajuste de temperaturas diferentes para o motorista e os passageiros. 

Apesar de toda a modernidade, existe uma desvantagem em optar pelo ar digital: o valor de manutenção de um ar-condicionado digital é bem mais alto, podendo custar até 55% a mais do que o conserto de um aparelho analógico. Além disso, fazer reparos em um ar-condicionado digital não é tão simples assim, devido a se tratar de uma tecnologia avançada e relativamente recente. 

Ar-condicionado analógico

No ar-condicionado analógico são utilizados materiais que não são encontrados no digital, como os cabos de aço. Em geral, a estrutura desse modelo mais simples de aparelho é bem mais frágil e, consequentemente, sujeito a defeitos caso não seja feita uma boa manutenção. Além disso, o aparelho analógico utiliza um sistema básico, em que o fluxo é definido manualmente.

A regulagem da temperatura é feita por meio de um seletor analógico com um gráfico que vai do frio ao quente. É necessário encontrar um consenso entre o motorista e passageiros na hora de fazer o ajuste, já que não é possível adaptá-lo aos diferentes ambientes do carro.

Como você pode perceber, os aparelhos de ar-condicionado analógicos são bem mais simplificados. A principal vantagem deles em relação aos modelos digitais, é claro, é o preço. Também é preciso levar em consideração o fato de que o custo da manutenção do ar analógico é bem mais baixo, além de ser mais simples realizar os consertos. 

No entanto, há um porém: com um aparelho de ar-condicionado analógico, o gasto de bateria do veículo é mais alto. Além disso, se o seu carro roda em estrada de terra por muito tempo, a troca de filtros deve ser realizada com mais frequência.

Fica aqui uma observação importante: existem modelos de ar-condicionado em que os botões são digitais, mas o sistema não é automático. Nesses casos, apenas o botão de escolha da velocidade é digital, mas é impossível escolher a temperatura interna do veículo. Por isso, fique atento. 

Digital ou analógico, eis a questão

A escolha entre um modelo digital ou analógico depende muito do perfil do motorista, pois um não é necessariamente melhor do que o outro. Caso você queira evitar custos de manutenção muito onerosos e estiver satisfeito com os ajustes de temperatura básicos, o ideal é um ar-condicionado analógico.

No entanto, se fizer questão de ter mais opções de regulagem de temperatura e puder pagar por isso, a melhor opção é o ar-condicionado digital. 

Gostou deste post? Então que tal compartilhá-lo em suas mídias sociais?