Uma das coisas que assustam as pessoas hoje em dia é a violência, principalmente em se tratando de furtos. O roubo de veículos, por exemplo, é uma modalidade que, infelizmente, continua bastante comum, seja nas grandes cidades, seja nos municípios do interior. Portanto, cada vez mais as pessoas tentam se precaver disso da melhor forma possível.

No caso das motos, existem equipamentos bem eficazes que podem impedir a ação de bandidos, como travas e alarmes.

A seguir, saiba como melhor utilizar esses itens.

O que travas e correntes podem trazer em termos de segurança?

Ok, convenhamos que amarrar a sua moto em algum lugar pode soar um método meio arcaico (ou até mesmo ultrapassado), mas, acredite: essa ainda é uma das melhores formas de se evitar furtos de veículos, como motos e bicicletas.

O bom é que, devido à atual tecnologia, até mesmo as correntes para amarrar motos são feitas de um material especializado, bastante resistente, e que ainda trazem um revestimento plástico para evitar que esses acessórios enferrujem, ou danifiquem a sua moto de alguma forma.

Só que existe sempre a possibilidade de cortarem essas correntes com algum alicate. O que fazer? Nesse caso, existem travas de disco ou coroa, que, além de serem pequenas e mais fáceis de transportar do que as correntes, também são mais difíceis de serem violadas. Detalhe: cuidado para não se esquecer de tirar a trava quando for sair com o veículo, caso contrário, será chão na certa!

Porém, até esse problema alguns fabricantes perceberam com o passar do tempo, e construíram sistema que auxiliam o condutor a lembrar da trava antes de sair com a sua moto. Algumas, por exemplo, têm uma espécie de cabo preso junto à manopla, e outras contam com um pequeno alarme sonoro que é acionado assim que a moto começa a andar. Ah, claro, esse alarme, de quebra, ainda funciona contra assaltantes também.

Qual o melhor jeito de usar alarmes em motos?

Mesmo sendo mais caros do que travas, correntes e cadeados, os alarmes são mais eficientes em termos de segurança. Caso alguém tente mexer em sua moto, eles emitem um sinal sonoro muito forte. Muitos, inclusive, trazem algo a mais: um sensor de presença que bloqueia a ignição em caso do chaveiro do alarme não estar próximo.

Na hora de adquirir esse aparelho, escolha um que seja projetado especificamente para motos. Isso porque o módulo deles é feito espacialmente para suportar as vibrações desse tipo de veículo, e também outros problemas, como poeira e chuva. Informação importantíssima: se você instalar incorretamente um alarme em uma moto 0 KM, perderá a garantia da parte elétrica dela.

O melhor, nesse caso, é conseguir um alarme que possua plugues para conexão, onde não seja necessário o corte do chicote elétrico do veículo. Hoje existem modelos universais de alarme, como o Positron Duoblock FX G8, compatível com 99%25 das motocicletas disponíveis no mercado brasileiro .

Medidas alternativas de segurança

Fora travas e alarmes, uma boa medida para evitar o assalto de sua moto é a marcação de peças. Pelo menos esse sistema de controle e gravação do número do chassi em muitas peças do veículo funciona como uma espécie de “segurança passiva”, inibindo, de certa forma, a ação de bandidos.

E, mesmo sendo bem mais caros do que as alternativas citadas aqui, um bom equipamento para prevenir o assalto de sua moto são os bloqueadores com monitoramento remoto. Os famosos rastreadores, só pra constar. A depender do tipo de rastreador, o sistema pode funcionar por GPS, radiofrequência ou GSM. Não necessariamente evita o assalto, mas, ajuda a localizar a moto, caso seja roubada.

Agora, com essas dicas, é torcer para que nada de ruim aconteça, nem com a sua moto, muito menos, com você.