Algumas peças são tão indispensáveis para o bom funcionamento do seu carro que vale a pena conhecer um pouco mais a respeito. É o caso, por exemplo, do condensador que faz parte do ar-condicionado.

Como o próprio nome já sugere, a função do condensador é condensar o gás evaporado no evaporador. Mas, na prática, como ele funciona?

Processo de condensação

No condensador, o vapor do produto refrigerante (que, anteriormente, já havia sido aquecido na compressão) é completamente arrefecido pelo ar que percorre as lâminas do condensador. Daí, esse vapor volta ao seu estado líquido original.

Depois, esse líquido segue para um filtro secador, indo, em seguida, para a válvula de expansão, que é justamente um dos componentes que fazem o ar-condicionado funcionar de fato.

Após a válvula de expansão, esse líquido passa por um orifício e, depois de perder pressão, perde também temperatura, ficando apto a passar pelo componente seguinte: o evaporador. É então que o processo recomeça.

Função básica do condensador

A característica principal desse componente é permitir que o ambiente do seu carro possa estar sempre bem refrigerado e climatizado. Podemos dizer que se trata do “coração” do seu ar-condicionado, que, sem esse componente, não conseguiria refrigerar o seu veículo.

Inclusive, para evitar um possível arrefecimento do motor, todos os carros com ar-condicionado vêm equipados com outros dois componentes: um radiador de alto rendimento e um ventilador auxiliar. Ambos proporcionam que a refrigeração seja constante e estável em seu aparelho de ar-condicionado.

Componentes do condensador

Das partes que compõem um condensador, podemos citar o filtro secador. É ele que retém impurezas, além de armazenar uma pequena quantidade de fluido que complementa a vedação de todo o sistema de seu ar-condicionado automotivo.

Outro componente que vale destacar é a chamada válvula de expansão, que controla o fluxo do líquido em todo esse sistema. Sempre que você aciona o botão do seu ar-condicionado, acaba monitorando também a capacidade do sistema. Isso impede ou libera a passagem do fluido de refrigeração.

Já no evaporador, vai ocorrer a absorção, propriamente dita, do calor armazenado em seu veículo, transformando-o em conforto térmico. Aqui, o fluido passa por duas pequenas serpentinas. Depois, ele evapora e “rouba” o calor do ambiente através da ação do compressor. Este, por sua vez, retira o fluido das serpentinas e envia para o condensador.

Existem também as mangueiras, responsáveis por ligar todo o sistema do ar-condicionado automotivo. É bom ressaltar que elas precisam estar sempre em excelente estado de conservação, pois assim elas evitam a saída do fluido de todo o sistema. 

E, para encerrar, não podemos deixar de mencionar o transdutor de pressão. Por meio dele ocorre a transmissão de variação no sistema, ligando-se diretamente ao módulo controlador do seu veículo. Tais informações são essenciais, pois elas são microprocessadas, servindo para deixar a temperatura de acordo com o que foi solicitado pelo condutor.

Manutenção do condensador

Como visto até aqui, o condensador é um componente de vital importância para o bom funcionamento do seu ar-condicionado e, portanto, é necessário ter muito cuidado com sua manutenção.

Às vezes, até mesmo um pequeno furo provocado por uma colisão ou pela entrada de uma pequena pedra no sistema de refrigeração já é o suficiente para o equipamento apresentar problemas. Nesse caso, a boa notícia é que o defeito pode ser consertado facilmente, com uma pequena solda de alumínio que pode ser feita pelo seu mecânico de confiança.

No geral, o recomendado é fazer uma revisão anual e verificar se todo o equipamento do seu ar-condicionado, incluindo o condensador, está em perfeitas condições. Assim, você garante sempre o funcionamento adequado, evitando, inclusive, sérios acidentes.